TAEs aposentados recebem homenagem da UFJF

Na última quarta, dia 03/07, servidoras e servidores TAEs que aposentaram entre junho de 2018 e junho deste ano receberam, em solenidade no Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM), homenagem da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Estiveram na mesa de abertura o coordenador geral do Sintufejuf, Flávio Sereno; a pró-reitora de gestão de pessoas da UFJF, Kátia Castro – que também recebeu a homenagem; o ex-reitor da UFJF, Renê Gonçalves e o reitor da UFJF, Marcus David – que, em sua fala, reconheceu o papel do Sintufejuf na realização da homenagem. O reitor explicou que a ideia do evento surgiu a partir de uma proposta da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas, mas também da constante demanda por mais valorização das aposentadas e aposentados, colocada pelo Sintufejuf. A coordenadora de aposentadas/os, aposentandas/os, pensionistas e assuntos de aposentadoria do Sintufejuf, Maria de Fátima Berion (Fatinha), parabenizou a iniciativa. “Na época que eu aposentei não teve, mas acho que é uma boa ideia”, afirmou Fatinha. Uma das servidoras TAEs homenageadas, Sandra Helena Lage, que ingressou na UFJF na década de 1990, na Faculdade de Serviço Social, contou que “é uma honra e um reconhecimento por todo o trabalho realizado por nós” receber essa homenagem. Ela também disse que pretende aproveitar a aposentadoria para aprender coisas novas e participar dos projetos oferecidos pela Universidade na Casa de Cultura, onde ela estuda espanhol atualmente.

Flávio Sereno, em sua fala, parabenizou os homenageados, convidou-os a conhecer a nova sala dos aposentados, no Sintufejuf (clique AQUI para saber mais) e lembrou que a aposentadoria é um direito conquistado pela classe trabalhadora, que hoje está ameaçado pela proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo Bolsonaro. Ele também lembrou que a UFJF – e consequentemente as trabalhadoras e trabalhadores que constroem a Universidade – é uma peça estratégica para o desenvolvimento da cidade e da região, não só por formar profissionais, mas também por conta dos projetos de pesquisa e extensão que desenvolve e a ligação direta com a história de luta por democracia na região.

A reforma da Previdência proposta por Bolsonaro também foi pauta da fala do reitor Marcus David. Ele alertou que, se aprovada, a reforma pode gerar um quadro de miséria na terceira idade que é preocupante, especialmente porque o custo de vida, nessa idade, é mais elevado. Ele também mencionou que, apesar das afirmativas do governo de que as servidoras e servidores públicos são privilegiados e responsáveis pelo suposto déficit na Previdência, a aposentadoria é um direito, pelo qual as trabalhadoras e trabalhadores pagam durante toda a sua vida profissional, não um privilégio. 

Sandra Helena Lage recebendo homenagem da UFJF

Uma representante dos homenageados, a professora Maria Helena Braga, também ocupou o palco para fazer um discurso em nome das servidoras e servidores recém-aposentados, no qual relembrou sua trajetória profissional de mais de 40 anos na UFJF, além de momentos históricos da Instituição, como a vinda de Paulo Freire e Betinho à Universidade. Na plateia diversos homenageados se emocionaram durante o discurso, que também relacionou a história da Universidade e seu crescimento ao esforço e dedicação das servidoras e servidores que construíram e ainda constroem a UFJF.


Miguel Neto e Maria Angela Costa na plateia

Após a entrega de lembranças individuais à cada um dos homenageados, a Diretoria Executiva do Sintufejuf panfletou com a categoria, convidando os recém aposentados a conhecer a nova sala voltada para esse segmento, na Sede Administrativa do Sintufejuf (Rua Santo Antônio, 309 – Centro). Depois as servidoras, servidores, seus familiares e autoridades presentes foram recebidos no saguão do Museu com um coquetel de despedida, que se transformou em palco de encontros e reencontros. Um dos TAEs homenageados, Miguel Neto, que começou a trabalhar na UFJF em 1973, no Restaurante Universitário (RU), contou que, para ele, a principal importância da homenagem é a promoção desse encontro. Ele disse que, em 45 anos trabalhando na Universidade, não conhecia diversas pessoas que estavam ali sendo homenageadas e teve a oportunidade não só de conhecê-las, mas também de reencontrar amigos de longa data.

A coordenadora geral do Sintufejuf, Maria Angela Costa, também chamou a atenção para a importância do reencontro da categoria e disse que se emocionou diversas vezes durante a solenidade. “Infelizmente existe uma política tanto de retirar direitos quanto de separar as pessoas. Então muitas dessas pessoas que estão aqui, que trabalhavam no Hospital Universitário, por exemplo, que construíram o nosso Hospital Universitário, hoje estão em outros cantos, porque veio a EBSERH, que é um sistema que faz a separação entre os trabalhadores que estiveram o tempo todo aqui construindo a Universidade. E num evento como esse eles se encontram”, afirmou Maria Angela. Ela também lembrou que essas homenagens se tornarão cada vez mais raras se a proposta de reforma da Previdência apresentada por Bolsonaro for aprovada e que a categoria, tanto quem já se aposentou quanto quem ainda está na ativa, precisa ir para as ruas no próxima dia 12, dia nacional de mobilização contra a reforma e em defesa da educação. 

Confira a seguir todas as fotos da solenidade: 


SINTUFEJUF

SINTUFEJUF