SINTUFEJUF discute com secretaria geral da UFJF o cumprimento de termos do acordo de greve assinado em outubro

10/11/2021

O SINTUFEJUF se reuniu com a secretaria geral da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) na tarde de ontem, 09, para dialogar sobre a distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para a categoria, entre outras demandas recebidas. Esta é uma das pautas do acordo de greve sanitária assinado em outubro, e uma reivindicação presente no abaixo-assinado disponibilizado pelo sindicato.

De acordo com o coordenador geral do SINTUFEJUF, Flávio Sereno, durante as duas primeiras semanas de retorno presencial gradual, o sindicato recebeu  reclamações de não cumprimento das ações previstas tanto no acordo de greve quanto na Resolução 58/2021 do Conselho Superior da UFJF,  que estabeleceu as diretrizes para o retorno presencial. Desta forma, o sindicato apresentou estas situações para a secretaria geral que se prontificou a resolver todas as questões.

Conforme a coordenadora de saúde Luana Lombardi, muitos trabalhadores estavam retornando ao trabalho presencial antes que suas unidades recebessem os EPIs. “As unidades estavam precisando solicitar essas máscaras via almoxarifado e as solicitações eram ainda analisadas por uma coordenação do Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor Público Federal (SIASS). Isso estava inviabilizando a distribuição em tempo hábil, visto que muitas unidades já estão em trabalho presencial”, explica Luana.

Desta forma, segundo Flávio, até o momento, nem todas as unidades receberam os EPIs prometidos. A partir da intervenção do SINTUFEJUF, a secretaria geral informou que irá reenviar um comunicado a todas as unidades acadêmicas e administrativas esclarecendo qual o procedimento para solicitar as máscaras, como o informar o número necessário em cada unidade. Além disso, segundo Luana, a reitoria se comprometeu a rever a logística. Conforme o acordo de greve, está garantida a distribuição de máscaras N95 até pelo menos o final de 2021. 

Além das máscaras, entre as reclamações estão falta de álcool gel em alguns setores, inclusive nos ônibus circulares e, de acordo com Luana, a não instalação das comissões de biossegurança em determinadas unidades. “Nós relatamos que algumas unidades não haviam realizado reuniões para a formação dessas comissões locais previstas na Resolução 58 e que permitem uma organização do trabalho com segurança em relação à Covid-19 para todos”, afirma. Segundo ela, nesse mesmo comunicado a ser feito pela reitoria será ressaltada a importância de que cada unidade implemente as comissões.

Outro ponto debatido foi o passaporte de vacina na instituição. “Foi reforçada a necessidade de que todos os equipamentos da universidade, incluindo aparelhos de cultura, possam a medida em que forem retornando o funcionamento, prever essa exigência e executar a cobrança dos usuários”.

Também foi solicitado à secretaria geral que fosse reforçada a definição, conforme a resolução do Consu, de que o atendimento presencial não precisa ser de 12h neste momento, e sim o somatório dos atendimentos remoto e presencial. O síndicato reforçou que esta medida visa a não aglomeração, para que todos os serviços sejam atendidos sem causar idas presenciais com demandas que podem ser atendidas remotamente.

Todos os pedidos solicitados pelo SINTUFEJUF foram acolhidos com promessa de resolução pela reitoria

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF