Fórum de Servidores Públicos Federais (FOSEFE) retoma reuniões e defende vacina para toda a população, auxílio emergencial e os programas de proteção ao emprego

22/01/2021

Com o objetivo de definir as estratégias de luta em defesa do serviço público e dos direitos dos servidores e contra os ataques do governo Bolsonaro à população, o Fórum das Entidades dos Servidores Públicos Federais de Juiz de Fora e Região retomou as reuniões na última quarta-feira, 20. Esse foi o primeiro encontro virtual do Fórum e contou com a participação de representantes do SINFUFEJUF, APES, SINASEFE (Barbacena e Rio Pomba), SITRAEMG, SINDIRECEITA, SINDSEP-MG, SINTSPREV e SINPRFMG. 

De acordo com o coordenador geral do SINTUFEJUF, Flávio Sereno, na ocasião, as entidades sindicais presentes decidiram por seguir a agenda nacional do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (FONASEFE) com foco na vacinação contra a Covid-19, retomada do auxílio emergencial, e programas de proteção ao emprego. Desta forma, o início das mobilizações em conjunto foi marcado para o dia 24 de janeiro, Dia Nacional dos Aposentados, com divulgação nas redes sociais. Outro encaminhamento foi a organização de uma série de atividades não presenciais no dia nacional de luta pela vacinação para todos, em primeiro de fevereiro. Para essa ação, serão colocados outdoors, cards nas mídias sociais, inserção em rádios e carro de som. Outra iniciativa é o envio de uma carta aos candidatos à presidência da câmara e do senado contra os projetos do governo de desmonte do serviço público. O FOSEFE também deliberou por retomar o contato com as câmaras municipais de Juiz de Fora e região para tentar que os parlamentos municipais agendem audiências públicas para discutir a proposta de reforma administrativa do governo federal. Esta atividade de diálogo com os parlamentares também ocorreu em 2020, além da participação do FOSEFE, no dia 11 de fevereiro daquele ano, em uma Tribuna Livre sobre “Plano Mais Brasil (PECs 186, 187 e 188/2019), Reforma Administrativa do Governo Federal e os impactos nos serviços públicos federais executados no Município de Juiz de Fora”. Na mesma sessão, a Câmara Municipal de Juiz de Fora aprovou uma Moção de Repúdio, apresentada por cinco membros da casa contra o Ministro da Economia Paulo Guedes. (acesse AQUI e relembre a matéria)

Para Flávio Sereno, a retomada das ações conjuntas das representações dos servidores públicos federais, por meio do FOSEFE, conectada com a agenda nacional com as iniciativas locais e regionais, significa a tentativa de defender a sociedade, usuária do serviço público brasileiro. “A brutal desigualdade brasileira só pode ser enfrentada com um serviço público forte. A pandemia e todo o sofrimento que tem causado é mais um exemplo disso. Centenas de milhares de vidas e um abalo imenso na economia que já estava em crise. E em meio a tragédia o SUS e demais instituições públicas lutando ao lado das pessoas” afirma.

O segundo tesoureiro da APES, Augusto Cerqueira, acredita que neste momento em que os temas da reforma administrativa voltam à pauta no congresso, é fundamental retomar as reuniões do Fórum. “Precisamos juntar forças e mobilizar os servidores públicos contra a proposta de destruição do serviço público”, opina.

Conforme o coordenador do SITRAEMG, Alexandre Magnus, a Reforma Administrativa sucateia todo o serviço público e prejudica à população, principalmente a mais carente que necessita de educação, segurança e saúde públicas. “Retomar as discussões com antecedência é importante pois a classe trabalhadora e o funcionalismo público enfrentaram o grande capital, então temos que estar bem preparados, unidos e articulados”, acredita.

O representante do SINASEFE Rio Pomba, Wildson Justiniano Pinto explica que a retomada das reuniões possibilita que ações possam ser realizadas em comum acordo entre as várias representações. “A organização da luta em defesa dos servidores e do serviço públicos é de extrema importância para que as entidades possam caminhar juntas. É importante que servidores da educação, previdência, receita e outros serviços públicos possam estar representados de forma que, retomando a reunião, as ações tenham mais visibilidade e maior potencialidade dos atos”. Segundo ele, o objetivo é combater as PECs, a alteração na carreira dos servidores públicos, e defender a vacinação para todos a volta às aulas presenciais somente com garantia de segurança.

Para a diretora do SINDSEP/MG, Maria da Conceição dos Santos é preciso barrar a Reforma Administrativa. “E um projeto nefasto que vai prejudicar não somente os servidores, mas também toda a população de modo geral. Precisamos discutir como vamos informar à população o que está por vir. Todas as reformas que foram implementadas tiraram direitos. Não têm nenhuma para melhorar. E a retomada [das reuniões] será para discutir mecanismos de enfrentamento”, conta a diretora.

Conforme o representante do SINASEFE Barbacena, Sandro Alex Batista, nesse momento delicado que o país enfrenta, com a presença de um poder que destrói as instituições republicanas e concomitantemente provoca o esgarçamento da democracia, é preciso mais do que nunca que as frentes sindicais, os fóruns de representação dos trabalhadores e os trabalhadores em geral se organizem para discutir as principais diretrizes contra as ameaças do (des)governo. “O projeto neoliberal que vem desde da década de oitenta, sendo seu ápice o capitalismo financeiro, no Brasil mitigado pelo governo Lula e Dilma, retomou as rédeas do jogo com impeachment da Dilma e voltou ao centro do debate com Temer e Bolsonaro que desejam através o Guedes forçar a qualquer preço as privatizações, fator que precarizar o trabalho e as entidades sindicais. Portanto, somente a União das entidades sindicais é capaz de discutir e apresentar soluções para a classe trabalhadora”, conclui.

A próxima reunião do FOSEFE acontece no dia 26 (terça-feira) para seguir na organização das atividades definidas no último encontro.

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF