TAEs da UFJF (Juiz de Fora e Governador Valadares) e do IF Sudeste MG aprovam greve nacional de 48h nos dias 26 e 27

Trabalhadoras e trabalhadores técnico-administrativos em educação da UFJF em Juiz de Fora e Governador Valadares e do IF Sudeste MG irão aderir à greve nacional de 48 horas nos dias 26 e 27 de novembro.  Convocada pela FASUBRA, a greve tem como objetivo manifestar a posição das trabalhadoras e trabalhadores contra as reformas do governo e o desmonte do Estado.

A deliberação da categoria das duas instituições ocorreu em assembleia geral de TAEs da UFJF realizada ontem, 20, em Governador Valadares e, em Juiz de Fora, TAEs do IF Sudeste MG aprovaram a greve em assembleia na parte da manhã e da UFJF na parte da tarde de hoje. A categoria também aprovou que o SINTUFEJUF busque articulação com os demais sindicatos que representam servidores públicos federais em Juiz de Fora. A ideia é fazer uma reunião ainda no dia 26, para discutir estratégias comuns para enfrentar as propostas de reforma administrativa e ajuste fiscal do governo.

Como atividade de luta, as assembleias encaminharam que seja realizada uma roda de conversa sobre a reforma administrativa na terça-feira, 26, no IF Sudeste MG. Na quarta, 27, será realizada a participação da categoria no grupo de estudos quinzenal, que, devido à greve, ocorrerá na sede administrativa do SINTUFEJUF a partir das 14h. O grupo se reúne às quartas-feiras, desde o dia 13 de novembro, na Faculdade de Educação (Campus UFJF).

O coordenador Geral do SINTUFEJUF Flávio Sereno, convidou a categoria para assistir a série de vídeos sobre Reforma Administrativa” realizada pelo SINTUFEJUF e APES. A série está disponível em todos os canais do sindicato, como site, Instagram e Facebook. Segundo ele, é preciso esclarecer os prejuízos que esta reforma representa para o serviço público. “A mobilização passa pelo convencimento não só de nossos colegas, mas de toda a população que é atendida. Infelizmente a gente está em outro momento, mas não podemos deixar de lutar para que as grandes mobilizações retornem”, afirma Flávio.

Segundo a coordenadora geral, Maria Angela Costa, é preciso defender os direitos dos servidores públicos, que não são privilégios, e sim conquistas de nãos de luta. “O que o governo quer é desarticular o movimento e enfraquecer o sindicalismo”, opina.


Ela reafirma o papel que a FASUBRA tem desenvolvido para construção de uma mobilização maior, com unidade, envolvendo o setor público, principalmente a Educação. “A entidade tem realizado muitas atividades de enfrentamento aos ataques de retirada de direitos deste governo, mesmo com toda a truculência que somos recebidos”, conta. Por isso, ela destaca a importância construir estratégias e somar forças.

A coordenadora aproveitou a assembleia para convidar a categoria para participar da Campanha “Consciência Negra”, que acontece amanhã, a partir das 9h no SINTUFEJUF e a partir das 13h na APES.

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF