TAEs da UFJF elegem representantes para a Plenária Nacional da Fasubra

Na última quarta-feira, 28 de agosto, trabalhadoras e trabalhadores técnico-administrativos em educação, reunidos em assembleia geral da categoria, elegeram as chapas que enviarão delegados para a Plenária Nacional da Fasubra, que acontece nos dias 14 e 15 de setembro.

Vale lembrar que o SINTUFEJUF tem direito a 5 delegadas ou delegados, sendo uma indicação da direção, outra/o da categoria do IF Sudeste MG (campus Juiz de Fora e reitoria), outra/o pelo Campus Avançado de Governador Valadares, e as duas demais vagas eleitas em assembleia geral em Juiz de Fora. Desta forma, o SINTUFEJUF indicou e a categoria referendou o nome da coordenadora geral Maria Angela Costa enquanto indicada da direção.

Durante os informes que iniciaram a assembleia, três chapas se inscreveram para participar da Plenária: Avante – representada pelo coordenador geral do SINTUFEJUF, Flávio Sereno, Tribo – representada pelo técnico-administrativo Paulo Dimas de Castro e a chapa independente de coletivos – representada por Maria dos Remédios da Silva.

O primeiro a defender seu coletivo foi Flávio Sereno. Segundo ele, as pautas da Plenária estão relacionadas com as pautas da assembleia, como a análise sobre o projeto Future-se, cujo impacto já foi discutido na UFJF em Juiz de Fora e Governador Valadares e no IF Sudeste MG. Desta forma, a Plenária em Brasília deverá uniformizar como cada universidade e instituto federal está debatendo o programa, para assim, organizar a resistência. Flávio destacou também a importância da escolha de reitor, eleito pela maioria dos votos, afinado com as causas da comunidade acadêmica, defensor da universidade pública, gratuita e de qualidade. “Cada reitor nomeado sem a nossa participação, é uma peça que a gente perde. As grandes pautas que conseguimos conquistar, foi graças a mobilização da categoria, e se a gente perder isso, vai ficar mais difícil”, afirma Flávio.

Conforme Paulo Dimas, que defendeu o coletivo Tribo, a Plenária discutirá o futuro da Universidade. Segundo ele, o cenário atual é de cada vez mais cortes para a categoria, como a perda da insalubridade, e agora o fim do subsídio nos Restaurantes Universitários. “Não tivemos nos últimos anos nem 1% de reajuste, apenas cortes. Na prática, tudo isso é redução de salário. Peço voto ao coletivo Tribo para levar esta discussão à Brasília. O Sindicato já está fazendo a parte dele. Mas essa luta não é só nossa, a Federação tem que comprar essa briga também”, diz Paulo.

Maria dos Remédios defendeu sua candidatura independente de coletivo, externando sua preocupação pela baixa participação da categoria na luta em defesa de pautas que são de interesse de todos, como o Future-se. Segundo ela, sua participação enquanto base das discussões sobre o projeto, a torna apta para participar do debate em Brasília, defendendo os interesses da categoria.  “Eu sei o que está acontecendo com a categoria, sei defender na Fasubra o que está acontecendo aqui”, afirma.

Após as falas, foi aberta a votação. Pela proporção, o coletivo Avante (com maioria dos votos) e o coletivo Tribo (com a segunda maior votação) poderão indicar um delegado ou delegada cada.

Além das pautas citadas pelas chapas concorrentes, também fazem parte das discussões da Plenária os ataques do governo contra a educação e contra as entidades sindicais, além de informes da direção; informes de base; conjuntura nacional e internacional; impactos do corte da educação; reforma da Previdência no Senado; cortes das consignatárias; calendário entre outras.

A assembleia do IF Sudeste MG acontece na próxima terça-feira, 03 de setembro. A vaga destinada ao campus avançado de Governador Valadares, ainda será definida.

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF