TAEs da UFJF e IF Sudeste MG elegem delegados para Plenária Nacional da Fasubra

09/03/2021

Trabalhadoras e trabalhadores técnico-administrativos em educação da UFJF e do IF Sudeste MG, reunidos em assembleia geral virtual na tarde de 04 de março, escolheram as delegadas e delegados que representarão a categoria durante a Plenária Nacional da Fasubra, em Brasília, nos dias 11, 12 e 13 de março. A assembleia aconteceu através da plataforma “meet” e foi comandada pelos coordenadores gerais Flávio Sereno e Maria Angela Costa, e pelo coordenador de Comunicação Felipe Santos. De acordo com Maria Angela, é muito importante a participação da categoria na Plenária, mesmo online, para conhecer a realidade nacional e articular a luta em conjunto com todas as instituições federais de ensino.

Na ocasião, foram inscritas duas chapas para concorrer às vagas destinadas aos TAEs da UFJF, Tribo e Avante. O técnico-administrativo Paulo Dimas de Castro fez a defesa pelo coletivo Tribo. Segundo ele, é preciso chegar na Plenária junto com os demais coletivos para levantar a bandeira em defesa do serviço público, de todas as conquistas da categoria e contra a PEC 186, que utiliza o Auxílio Emergencial como pano de fundo para aprovar medidas que penalizam o Serviço Público.

Em nome da Frente Avante, Flávio Sereno destacou a gravidade da PEC 186 e da proposta de Reforma Administrativa do Governo, além da importância de não recuar da luta. Para ele, a pandemia dificultou a mobilização da forma como a categoria estava habituada, com aglomeração, caravana, piquetes. Por isso é preciso outras ferramentas para dialogar com a população e mostrar que as Reformas propostas representam a destruição do serviço público e um ataque às pessoas que dependem desses serviços, desde o hospital universitário, as salas de aulas do IF Sudeste MG e da UFJF, o INSS, segurança e escola pública, etc.

Após as explanações, a assembleia disponibilizou um link para votação. Com 65% dos votos, a Frente Avante elegeu duas cadeiras, contra 35% da Tribo, que elegeu uma. Desta forma, foram indicados Isabel Cristina Nascimento e Paulo Vitor Cota, pelo Avante, e Rosângela Márcia Frizzeiro, pela Tribo.

O IF Sudeste MG elegeu o técnico-administrativo e representante do instituto no SINTUFEJUF, Thiago Mello. Indicado pela direção do sindicato, a categoria referendou o coordenador geral Flávio Sereno.

Reforma Administrativa, PEC Emergencial e Jornada de lutas também foram pautas da assembleia

Antes de iniciar a escolha de delegados para a Plenária Nacional da Fasubra, a direção do SINTUFEJUF abriu a assembleia com o debate sobre a Reforma Administrativa e a PEC Emergencial, já aprovada na tarde de ontem em segundo turno no senado e será votada na Câmara dos Deputados amanhã, dia 10 de março.

O coordenador geral do SINTUFEJUF, Flávio Sereno, relembra que a PEC está contida no Plano Mais Brasil enviado ao parlamento em 2019, que previa entre outros dispositivos a possibilidade de redução salarial em até 25% e congelamento dos salários dos servidores públicos. Embora o texto inicial tenha sido alterado, retirando o dispositivo de redução salarial, ainda é prejudicial aos servidores públicos, uma vez que permanece o congelamento de concursos e salário e prevê o congelamento das promoções e progressões. No decorrer de 2020 a PEC não tramitou, mas iniciou 2021 de forma acelerada, com rito de votação abreviado, impedindo que sejam discutidas com profundidade as ações neoliberais que o governo tenta emplacar no texto.

Utilizando como objeto de barganha a real necessidade do auxílio emergencial, a PEC se apropria da situação para empurrar medidas que visam o enxugamento da máquina pública, implementando novos cortes no Estado. O valor do benefício proposto pelo Governo é de apenas R$250 para menos da metade da população desempregada e trabalhadores informais que recebeu o auxílio em 2020. Ou seja, de forma perversa, a PEC 186, utiliza o apelo popular para atacar a própria população usuária dos serviços públicos, retirando recursos da saúde, educação, INSS, segurança, entre outros.

Diante desses ataques, a Fasubra Sindical orientou a participação na jornada de lutas apontada pelas entidades que compõem o Fórum das Entidades do Serviços Públicos Federais (FONASEFE). Conforme o calendário, nos dias 15 de março tem início o “Seminário Nacional: A conta não pode ser do Servidor e do Serviço Público – Reforma Administrativa. O dia 17 de março está previsto como Dia Nacional de Luta, com ‘bandeiraço’ e ‘faixaço’. E no dia 18 de março, Dia Nacional de audiências e pressão nas três esferas do poder Legislativo, acontece a audiência pública pedida pelo FOSEFE dentro da programação da jornada, às 15hs na Câmara Municipal de Juiz de Fora com transmissão na TV e no Canal do YouTube da Câmara.. 

Desta forma, a categoria deliberou participar da jornada de lutas. A direção do SINTUFEJUF apresentou como proposta referendar as ações que já estavam sendo organizadas em conjunto com o Fórum das Entidades dos Serviços Públicos Federais de Juiz de Fora e Região (FOSEFE).

Flávio Sereno destacou que as propostas não são apenas de mobilização em meios digitais, como publicações nas redes sociais e nas rádios, mas também, físicas, através da colocação de outdoors, faixas e bandeiras e a circulação de carros de som. Segundo ele, a diretoria executiva não defende convocar ato presencial, e justifica que até mesmo falar ao microfone oferece risco de contaminação pelo novo coronavírus. A coordenadora geral do SINTUFEJUF, Maria Angela Costa reforça que durante a manifestação é difícil controlar o distanciamento, devido à adrenalina dos participantes.

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF