SERVIDORES DO IF SUDESTE MG APROVAM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO, EM LUTA PELA FLEXIBILIZAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO

 

Trabalhadoras e trabalhadores técnico-administrativos em educação (TAEs) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais – IF Sudeste MG, reunidos em assembleia na última quinta (19), aprovaram deflagração de GREVE por tempo indeterminado a partir de segunda-feira, em luta pela flexibilização da jornada de trabalho. O movimento abarca tanto trabalhadores do campus Juiz de Fora quanto da Reitoria do IF. A representante da categoria, eleita em assembleia, Gabriela Santos Leite, afirma que “a flexibilização é indispensável para atender os discentes, docentes, técnicos administrativos e comunidade externa com qualidade, bem como efetivar um atendimento ininterrupto, pois atualmente temos cursos nos turnos vespertino e noturno em quase todos os campi. A garantia da ampliação confere ao público em geral mais agilidade e presteza em todos os atendimentos da instituição”.

A mobilização tem sido feita, também, através do Fórum Intersindical, que reúne o Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino de Juiz de Fora – Sintufejuf, Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica – Sinasefe e a Associação dos Professores de Ensino Superior de Juiz de Fora – Apes. O representante da Apes, Jalon de Morais Vieira, afirma que “neste momento de ataques à educação e ao serviço público os sindicatos tem buscado unidade em defesa de nossos direitos, conquistados com muita luta”. Já o representante do Sinasefe, Germano de Oliveira Menezes, afirma que “a gente não pode esquecer que a jornada flexibilizada é uma conquista de lutas de movimentos grevistas e algo que se faz necessário devido ao atendimento ao usuário”.

Veja abaixo todas as pautas de reivindicação da categoria:

– Manutenção da flexibilização segundo a portaria suspensa até que a nova minuta seja votada;

– Aprovação da flexibilização nos termos do Fórum Intersindical;

– Participação do Sintufejuf em todos os órgãos colegiados do Instituto e do campus Juiz de Fora;

– Disponibilização de sala para sede do Sintufejuf e sala para sede da Apes no campus Juiz de Fora.

ENTENDA O MOVIMENTO

A flexibilização no IF Sudeste MG já é realidade desde 2012. No ano passado, porém, órgãos de controle do Estado começaram a contestar a flexibilização e a pauta entrou novamente em jogo. Nesse momento a Reitoria decidiu por suspender a portaria anterior, para discutir a pauta e aprovar uma nova minuta de regulamentação.

O representante do Sinasefe em Rio Pomba, Germano, acompanhou desde o início o processo e conta que inicialmente a comissão responsável por fazer o debate da flexibilização sequer tinha representantes da categoria, tendo somente representantes da Coordenação de Gestão de Pessoas do IF. Após mobilização da categoria Germano foi indicado como representante sindical na comissão e pôde acompanhar as discussões que antecederam a formulação do documento a ser encaminhado ao Colégio de Dirigentes e ao Conselho Superior. Ele aponta que, sem participação sindical, houve uma profunda mudança na proposta do documento elaborado na comissão, o que levou à proposta que atualmente está sendo encaminhada pelo Colégio de Dirigentes ao Conselho Superior. Segundo Germano, o documento está “cheio de armadilhas que poderiam dar margem à interpretação e prejudicar o servidor e o usuário”.

Desde o final do ano passado, com a dissolução da seção sindical do Sinasefe em Juiz de Fora, o Sintufejuf passou a representar os trabalhadores do IF Sudeste MG, no campus de Juiz de Fora e Reitoria. O coordenador geral do Sintufejuf, Flávio Sereno, conta que a partir de então passou a participar das negociações em defesa da flexibilização e pôde atuar junto ao Fórum Intersindical para adiar a votação da minuta no Conselho Superior e conseguir um prazo para apresentação de contraproposta da categoria. AQUI você encontra informações mais detalhadas sobre esse processo e AQUI a contraproposta da categoria.

Na última quarta (18) os representantes do Fórum participaram da última reunião do Colégio de Dirigentes antes da próxima reunião do Conselho Superior, que acontecerá no dia 24 de abril e vai colocar em votação a minuta. O representante da Apes, Jalon, afirmou que “assuntos alheios ao tema da pauta foram levantados e discutidos, o que contribuiu de forma não positiva para o desenvolvimento dos trabalhos”. Um dos representantes da categoria, eleito em assembleia, Thiago de Souza Melo, participou de uma reunião anterior, no dia 5 de abril, e a caracterizou como improdutiva. Outros participantes também fizeram o mesmo apontamento. Segundo o representante do Sintufejuf, Flávio Sereno, a reunião seria para apresentar a contraproposta da categoria e conseguir avançar na construção de um consenso antes de levar o documento à votação no Conselho Superior, mas “a única resposta que a gente obteve por parte do reitor e dos dirigentes, naquele momento, é que nós deveríamos encaminhar as propostas ao conselho superior”. O único avanço da reunião foi em garantir o envio da contraproposta previamente aos conselheiros e conselheiras. Já na reunião da última quarta (18), segundo Flávio, foi possível debater cada ponto da contraproposta apresentada pela categoria, permitindo um amadurecimento do debate até a reunião do Conselho Superior. Ainda assim a reunião foi inconclusiva.

Na assembleia realizada ontem os repasses referentes à reunião do Colégio de Dirigentes foram feitos à categoria e após amplo debate a proposta de greve foi colocada em votação e aprovada. O Comando Local de Greve foi instaurado ainda na assembleia e terá sua primeira reunião na próxima segunda (23) às 6h30, no hall da entrada principal do campus de Juiz de Fora.Podem participar trabalhadoras e trabalhadores técnico-administrativos tanto do campus quanto da Reitoria. Ainda não se sabe se representantes do Fórum Intersindical terão direito a participação na próxima reunião do Conselho Superior. 

 

GREVE NO CAMPI DE BARBACENA

A mobilização pela garantia da jornada flexibilizada também está presente em outros campi do IF Sudeste MG. Em Barbacena os trabalhadores entraram em greve e conseguiram negociar com a Direção Geral do campus um acordo que garante o cumprimento do horário administrativo do campus até que a nova resolução seja publicada. A reanálise de todos os processo de flexibilização também foi garantida. Em nota a seção sindical do Sinasefe em Barbacena afirmou que “a falta de sensibilidade por parte da Reitoria levou ao acirramento das tensões, culminando com duas paralisações e uma greve dos TAEs que resistiram bravamente por uma semana”. O coordenador da seção sindical do Sinasefe em Barbacena, Dimas Soares Ferreira, afirmou que “a expectativa é que essas coisas se resolvam o mais rápido possível, para que os servidores possam voltar a trabalhar”.

 

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF