Representantes da CIS/UFJF participam de encontro regional sudeste das comissões internas de supervisão do PCCTAE

Aconteceu no último final de semana, em Arraial do Cabo (RJ), o V Encontro Regional Sudeste das CIS’s – Comissões Internas de Supervisão do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação, que contou com a participação de integrantes das comissões de Instituições Federais de Ensino da região. Igor Coelho e Elisete Gonçalves representaram a CIS/UFJF no evento, cujo objetivo é ampliar e aprofundar as discussões que envolvem o plano de carreira da categoria. A programação teve início na última quarta, dia 10, e se estendeu até o sábado, dia 13, contando com espaços de debate, troca e formulação. No final do encontro foi produzida uma carta, reunindo as principais pautas em debate. Ela será encaminhada ao encontro nacional, que acontece em setembro, e estará disponível aqui em breve.

As discussões do encontro giraram em torno, principalmente, da licença para capacitação e qualificação da categoria; avaliação de desempenho; políticas de remoção e redistribuição; a questão do TAE substituto; o reconhecimento de saberes e competências (RSC) e as medidas do governo Bolsonaro que podem afetar o plano de carreira da categoria. O encontro regional das CIS não acontecia há algum tempo e por isso, segundo Igor, houve um grande aprofundamento nas discussões. Uma das questões levantadas foi a necessidade de aproximar as comissões locais e a comissão nacional, que é responsável pelo diálogo direto com o governo, para que seja possível avançar no aprimoramento do plano de carreira.

Igor e Elisete avaliaram positivamente o encontro. Para eles essa foi uma oportunidade importante para alinhar e elucidar o papel da CIS. “As comissões saíram mais fortalecidas e cientes do trabalho que vem pela frente”, afirmou Elisete. Igor contou que, através dos relatos feitos no encontro, percebeu que as CIS locais trabalham de formas muito diferentes. “Então uma das propostas é criar uma padronização de trabalho, para que todas as CIS trabalhem de maneira padronizada e de acordo com seu papel”, afirmou Igor. Algumas das comissões presentes compartilharam que tem inclusive acesso a processos que outras comissões não tem, como é o caso da CIS/UFJF, para a qual a Reitoria da Universidade não libera o acesso a processos de interesse das trabalhadoras e trabalhadores.

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF