PARTICIPAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA COMBATER LIMINAR QUE AUTORIZA TERAPIAS DE “REVERSÃO SEXUAL

Na próxima sexta-feira, 06, será realizado o segundo ato em respeito à população LGBTTI+ contra a liminar proferida pelo Juiz da 14ª vara do Distrito Federal Waldemar de Carvalho. A atividade terá início às 17h, com concentração em frente a Câmara Municipal, no Parque Halfeld. O SINTUFEJUF participou da reunião, na segunda-feira às 18h, no Sindicato dos Metalúrgicos, chamada pela Frente LGBT Juizforana para organizar o evento. O primeiro ato aconteceu no dia 22 de setembro, na mesma semana em que a liminar do juiz foi expedida, e reuniu centenas de manifestantes no centro de Juiz de Fora.

     Segundo a coordenadora de Educação e Formação Sindical do Sintufejuf, Natália Paganini, a liminar possibilita a reinterpretação da resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que, desde março de 1999, proíbe tratamentos/terapias de “reversão sexual”, por não considerar a homossexualidade como patologia. Na prática, a decisão do juiz torna possível a psicólogas e psicólogos o atendimento profissional pertinente à reversão sexual, a chamada popularmente “cura gay”. “Entendemos que essa permissão abre brecha à manutenção dos preconceitos e da violência contra a população LGBTTI+ e é um retrocesso na luta pelo reconhecimento da existência e da visibilidade das pessoas com orientação sexual e/ou afetiva não heteronormativas”, explica Natália.

    A Frente LGTB Juizforana é um fórum de entidades recém-construído que hoje agrega os coletivos Flores Raras, Visitrans, LGBT comunista, Ana Montenegro, UJR, UJC, Correnteza, Olga Benário, Maria Maria, Afronte, DCE, 8M, Sindicato dos Metalúrgicos e SINTUFEJUF.

    O SINTUFEJUF, além da participação na Frente e apoio político ao ato, aprovou na última assembleia geral, no dia 03, o apoio à impressão de panfletos a serem distribuídos nas universidades, escolas, sindicatos e vias públicas da cidade.

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF