Governador Valadares participa de debate com chapa inscrita para Consulta Pública 2019

O segundo debate da Consulta Pública para reitor(a) e vice da UFJF aconteceu na noite da última segunda-feira, 16 de setembro, em Governador Valadares, no colégio Pitágoras. A chapa 1, Unidos pela UFJF, representada pelos atuais dirigentes, Marcus David e Girlene Alves, dialogou com a comunidade acadêmica do Campus Avançado, apresentando as propostas para a próxima gestão, e fazendo uma retrospectiva do atual mandato.

Girlene reforçou os princípios norteadores da gestão, entre eles a universidade pública gratuita e principalmente, com financiamento público, destacando também a autonomia acadêmica, administrativa, a qualidade no ensino pesquisa, extensão, inovação e cultura, a indissociabilidade, a democracia, além da valorização do trabalho dos docentes e dos TAEs.

Desta forma, ela destacou a importância do envolvimento de toda a comunidade acadêmica na Consulta Pública 2019. “Num processo com chapa única, o comparecimento dos três segmentos, não apenas no voto, mas na discussão de um projeto de universidade é essencial. Nessa crise conjuntural que vivemos, o fortalecimento da participação no referendo de uma consulta organizada processualmente pelas três entidades é fundamental no fortalecimento da democracia interna e na possibilidade de enfrentamento das necessidades da instituição daqui para frente”, opina.

Segundo o Coordenador Geral do SINTUFEJUF, Flávio Sereno, que mediou o debate em nome da comissão organizadora, “como o campus de Governador Valadares é novo, os trabalhadores já chegaram na instituição com o atual modelo de escolha dos reitores. É preciso destacar que ter a consulta com voto secreto, direto e paritário foi uma conquista dos movimentos sindical e estudantil. O processo nesse modelo e organizado pelas entidades representativas é algo a ser preservado. E a melhor forma de valorizar e manter isso agora é participando de todas as etapas da consulta pública.”

Os presentes aproveitaram o debate para reivindicarem avanços no campus de Governador Valadares, com melhorias tanto em infra-estrutura, quanto ampliação dos serviços prestados, garantindo a qualidade do ensino. Políticas de cotas, ampliação do quadro técnico-administrativo, e ações de descentralização também fizeram parte das indagações dos três segmentos.

Na ocasião, Marcus David falou sobre a necessidade de intensificar as relaçõe entre os campi de Juiz de Fora e Governador Valadares. Em resposta aos questionamentos da plateia, ele falou sobre a situação das obras no campus avançado. Segundo ele, existe um estudo em andamento sobre a viabilidade de continuidade das obras, assim como a busca por alternativas, caso a resposta da equipe técnica seja negativa.

De acordo com Marcus David, na atual conjuntura, as universidades públicas enfrentam um cenário político pouco favorável, estando sob constante questionamento e ameaças, principalmente em relação a sua autonomia. “Tenho clareza que o próximo reitorado terá que trabalhar intensamente para garantir a autonomia não apenas administrativa e financeira, mas principalmente didático e científica para que nós tenhamos nenhum tipo de interferência no livre pensar da universidade”

Em relação às pautas dos técnico-administrativos, Marcos David  afirmou a necessidade construir dentro do conselho superior alternativas para garantir a qualificação e capacitação dos trabalhadores. “Nós temos plena consciência da importância do processo de capacitação dos nossos técnicos, docentes, de todos os servidores. Por esse motivo, a universidade, através do conselho superior, onde elaboramos o orçamento,   vai ter a sensibilidade para que mesmo num cenário de maior restrição, não abra mão dos investimentos necessários para a qualificação e capacitação” afirma.

Pauta dos TAEs

A construção da pauta dos técnico-administrativos em educação de Governador Valadares  foi debatida em assembleia geral da categoria na manhã de hoje, 17 de setembro, dado destaque para a necessidade de abertura do edital de remoção, nomeação de TAEs e ampliação da prestação dos serviço prestado no campus avançado, com abertura de cursos noturnos, pós-graduação e idiomas. Outras sugestões de pauta podem ser enviadas pelo formulário https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeovSiRRHIIQWOD4aog1A4Dqt0v5P2-6jmD_VQvtc4iYCM65A/viewform?usp=sf_link. As sugestões serão sistematizadas e entregue à chapa 1.

Durante a assembleia a categoria aprovou também, com apenas uma abstenção e nenhum voto contrário, a adesão à greve de 48 horas da Educação, nos dias 2 e 3 de outubro, em conformidade com a orientação da Fasubra sindical. Construída em conjunto com o ANDES, Sinasefe, ANPG e UNE, além da Federação, a Greve Nacional da Educação tem como objetivo intensificar a luta em defesa da Educação Pública e contra os cortes orçamentários e o programa Future-se.

Após a assembleia, a categoria participou de uma roda de conversa sobre assédio moral.

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF