Gestão de Pessoas do IF Sudeste MG lança pesquisa de clima organizacional

Com o objetivo de propor intervenções para a melhoria do bem-estar no trabalho, a Gestão de Pessoas do IF Sudeste MG, lançou no último dia 14, a primeira pesquisa de clima organizacional do instituto. De acordo com o diretor-adjunto de Gestão de Pessoas, Gabriel Mynoro Anibolete, a iniciativa ocorreu a partir de discussões advindas do plano de metas (ações e projetos) da Diretoria-Adjunta, que é baseado na Matriz GUT (matriz de priorização). Segundo ele, o processo de melhoria é contínuo, e é sempre necessário realizar a análise das ações prioritárias junto à equipe da Reitoria e dos Campi. “Nesse processo, juntamente com a Coordenação de Atenção à Saúde e Segurança do Trabalho (CAS), verificamos a necessidade de elaboração de um diagnóstico do clima organizacional, para que pudéssemos direcionar outras ações institucionais em benefício dos servidores”, afirma.

Gabriel explica que identificada essa necessidade inicial, foi elaborado o formulário da pesquisa baseado em artigos e dissertações de mestrado sobre o tema. Todas as coordenações participaram do processo, com destaque para a Psicóloga e Coordenadora da CAS, Ludmila Pinho.

A pesquisa será realizada em todas as unidades por meio de formulário online, de forma anônima, e terá como público alvo os servidores Técnico-Administrativos e Docentes, os Contratados Temporariamente e os Estagiários. Desta forma, os participantes estão convidados a avaliarem afirmativas relacionadas a fatores ambientais, organização da instituição, a relação entre chefias e servidores, além de motivação e satisfação. A partir do resultado, será elaborado um relatório com o diagnóstico do clima organizacional, além do painel interativo em software de business intelligence, idêntico ao utilizado pela área de Gestão de Pessoal para divulgação dos indicadores da força de trabalho.

De acordo com Gabriel, a necessidade de realizar a pesquisa vem de anos anteriores, porém devido às inúmeras demandas para área de Gestão de Pessoas, foram priorizadas outras ações. “Como estamos chegando próximo ao encerramento do ano de 2020, que foi um ano bastante atípico, e que conta com a troca de gestão administrativa em diversas unidades no próximo ano, entendemos que era fundamental ter o diagnóstico do Clima Organizacional. Por meio dele, as gestões e os servidores terão uma importante ferramenta para propor intervenções visando a melhoria do bem-estar no trabalho, observando-se as especificidades de cada unidade e de cada área de atuação institucional”, explica.

Conforme o diretor-adjunto, as pessoas que trabalham na Instituição têm um papel indissociável e decisivo para que seja oferecido um ensino público, gratuito, inclusivo e de qualidade. Por isso, Gabriel acredita que ouvir e cuidar do bem-estar desses trabalhadores é fundamental. 

Desta forma, ele reafirma a importância da participação de todos. “Quanto maior ela for, mais próximo da realidade será o diagnóstico e mais bem direcionadas poderão ser as propostas de intervenção em benefício dos servidores. Além disso, é preciso que os servidores ocupem o seu espaço quando ocorrem iniciativas semelhantes a estas, pois, do contrário, as pessoas que dedicaram o seu tempo podem se desmotivar e outros atores institucionais podem deixar de adotar medidas semelhantes no futuro”.

Gabriel ressalta que é fundamental que o servidor verifique se a sua percepção individual corresponde à coletiva e/ou local, ao menos neste momento, o que pode servir como forma de aprimoramento de seu autoconhecimento. Uma nova pesquisa será aplicada no intervalo de um ano para comparar a evolução dos resultados e das ações realizadas.

O formulário poderá ser preenchido até o dia 15/01/2021 e está disponível neste link: https://forms.gle/gzrFhcDcddJ1PBbQ8

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF