Comunidade acadêmica do IF Sudeste MG é recepcionada com ato político e cultural em início de semestre letivo

Trabalhadoras e trabalhadores técnico-administrativos em educação, docentes e estudantes realizaram um ato político e cultural no campus Juiz de Fora do IF Sudeste MG. A atividade teve início às 12h no hall do bloco administrativo e contou com a participação de representantes do SINTUFEJUF, APES e GETS, além de uma apresentação do grupo musical formado por estudantes do Instituto Federal, com a regência da professora Helen Barra de Moura.

De acordo com a coordenadora geral do SINTUFEJUF, Maria Angela Costa, o ato em defesa da educação pública, gratuita, democrática e com autonomia, é importante principalmente numa conjuntura de retrocesso. “Estamos articulando para construir uma greve unificada com outros setores, para defender as trabalhadoras e trabalhadores do serviço público e a prestação de serviço que é para a população. Estão querendo cada dia mais diminuir e precarizar o atendimento” explica. Maria Angela defendeu também o acesso à educação e o pensamento crítico, além de fazer o enfrentamento ao governo para defender as instituições de ensino públicas, os salários e os direitos do funcionalismo. Ela falou sobre o Estado de Greve já aprovado por TAEs do IF Sudeste MG (campus Juiz de Fora e reitoria) e da UFJF (Juiz de Fora e Governador Valadares), para sinalizar a intenção de construir uma greve geral, a partir de 18 de março, em conjunto com o Serviço Público Federal, principalmente os setores da educação. 

Segundo o diretor da APES e professor do IF Sudeste MG, Jalon de Moraes, o objetivo é mostrar a preocupação com a carreira, o trabalho e as instituições. “É o momento da gente iniciar o ano letivo apresentando o que está por vir. O ano de 2019 foi muito duro, com ações e declarações do governo que levam a gente a não ter uma expectativa muito boa. O que a gente quer é se defender, e caso seja necessário, partir para o ataque. Ao longo dos últimos anos a gente tem perdido autonomia, condições de trabalho e salário. Nós queremos respeito, diálogo e apresentar nossas propostas”, afirma. 

O representante do Grêmio Estudantil, Cayo Fagundes, falou sobre a proximidade do GETS com o SINTUFEJUF e a APES na defesa do Instituto. “É muito importante a gente se apresentar e convidar aqueles que estão chegando agora, para as atividades de luta. Tudo que a gente conseguiu ano passado foi com muita luta”, esclarece. 

Desde o início da semana, está fixado um varal de lutas do SINTUFEJUF, APES e GETS na entrada do campus Juiz de Fora do IF Sudeste MG.

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF