Campanha distribui doações para mulheres e famílias em situação de vulnerabilidade social

Foto: divulgação do 8M

A campanha do SINTUFEJUF em parceria com o Fórum 8M, o Instituto de Educação e Cidadania e a Escola Estadual Olavo Costa recebeu doações para distribuir a mulheres em situação de rua e moradores do Bairro Parque das Águas, zona norte de Juiz de Fora. Cerca de 100 famílias já receberam cestas básicas, produtos de higiene, máscaras de proteção, álcool gel e informações sobre a covid-19. As arrecadações continuam.

De acordo com Natália Paganini, coordenadora de Educação e Formação Sindical do SINTUFEJUF e membra do Fórum 8M, a pandemia do coronavírus é especialmente nociva às mulheres, sobretudo se forem pobres e pretas. “Em momentos de crise, somos o grupo mais vulnerável”, explica. “Somos as primeiras a perder empregos formais e sermos impedidas de realizar trabalhos informais ou, pior, por sobrevivência, obrigadas a seguir trabalhando sem o direito ao distanciamento social. Somos muitas em situação de rua, em estado de saúde debilitado e sem condições mínimas de higiene, o que nos torna grupo de risco para a contaminação”.

O Fórum 8M, historicamente, protagoniza a luta feminista na cidade, compreendendo-na sempre como inserida no sistema político, social e econômico e, por isso, afetada por suas oscilações. Por isso, além das doações e da conscientização a respeito da importância da quarentena durante a pandemia, a campanha também traz como bandeiras a defesa do SUS, das universidades públicas, do funcionalismo público, cobrança de ações firmes, condizentes e unificada dos poderes públicos e a taxação de grandes fortunas. Segundo Natália, todas as mulheres pertencentes ao Fórum 8M estão, em alguma medida, engajadas na campanha, além de diversas TAEs da UFJF, como Joseane Pires, da Faefid, que defende o isolamento como sendo de total importância, pois assim “as pessoas não vão contrair a covid-19 todas ao mesmo tempo, o que evita o colapso dos nossos hospitais. Está complicado para todos, mas é o que temos e o que tem quer feito”.

Natália Paganini também explica a importância de que o ativismo político não cesse com o isolamento social. “São várias as maneiras como podemos nos mobilizar para lutar junto com e pelas nossas companheiras mais fragilizadas nesse momento”, defende. “Optamos por divulgação da campanha, com material informativo online, via redes sociais, além das ações presenciais de distribuição de kits de higiene com álcool gel para mulheres em situação de rua e cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade social.”  

Foto: divulgação do 8M

Para entregar as doações, está sendo utilizado o cadastro do Instituto de Educação e Cidadania (Executor do Centro de Referência em Direitos Humanos), com cerca de 115 mulheres em situação de rua, e mulheres listadas no Bolsa Família pela Escola Estadual Olavo Costa. Algumas das crianças dependiam da escola para fazer sua refeição diária. 

Ainda faltam famílias a receberem suas cestas básicas e produtos de higiene e proteção contra o coronavírus, por isso, a campanha ainda está recebendo doações, que podem ser feitas presencialmente na escola, localizada na Rua Maria Geralda de Freitas, sem número, em horário combinado através do telefone (32) 99112-6962, ou para as contas bancárias no nome de Núbia da Silva Oliveira, integrante do 8M, CPF 052.036.456-20, Caixa Econômica Federal, agência 2251, operação 13, conta poupança 3473-0 ou Banco do Brasil, agência 3139-9, variação 51, conta poupança ouro 40622-8. A TAE do ICH Sílvia Regina Netto também está participando da campanha. “Fiz uma doação financeira no valor que pude fazer e estou divulgando nas redes sociais, grupos de whatsapp com funcionários e bolsistas da UFJF”, conta. Ela também disse estar fazendo uma campanha no seu círculo pessoal pelo uso das máscaras, manutenção do isolamento e outras medidas de proteção. “Acho muito importante e necessário que a gente desperte, sensibilize e esclareça as pessoas”, finaliza.

Foto: divulgação do 8M
SINTUFEJUF

SINTUFEJUF