Assembleia do SINTUFEJUF prorroga mandato da diretoria executiva até janeiro de 2022

Trabalhadoras e trabalhadores técnico-administrativos da UFJF e IF Sudeste MG reunidos em assembleia geral virtual nesta quarta-feira, 19, aprovaram, sem nenhum voto contrário, a prorrogação do mandato da diretoria executiva do Sintufejuf por 6 meses, até janeiro de 2022. De acordo com o coordenador geral do SINTUFEJUF, Flávio Sereno, o motivo é o atual cenário da pandemia, em que a maior parte da categoria ainda não foi imunizada contra a Covid-19. Até o momento, foram vacinados trabalhadores da saúde, pessoas acima de 60 anos, e pessoas com comorbidades acima de 45 anos. Entretanto, aqueles que receberam a vacina da Astrazeneca, recebem a segunda dose somente 3 meses após a primeira. Vale ressaltar que o pré-cadastro para a imunização de trabalhadores em educação teve início na última segunda-feira, 17, mas ainda não há previsão de quando iniciará o processo.

Para a técnico-administrativa Janemar Melandre, tendo em vista que ainda há a necessidade de distanciamento social, para que a eleição ocorra de forma presencial e segura, é necessário aguardar que a categoria receba a segunda dose da vacina, e o tempo que o organismo necessita para desenvolver anticorpos. A fala de Jane corroborou com o entendimento de Paulo Dimas de Castro e Edna Canobiette, que também manifestaram defesa pela prorrogação do mandato da atual gestão. De acordo com Paulo Dimas, Juiz de Fora está em conformidade com a realidade nacional Ele destaca que o período de vacinação de trabalhadores da Educação vai atingir os trabalhadores da universidade “Tendo isso, a gente pode fazer uma eleição segura, com todos vacinados, este ano ainda”, conclui.

Embora concorde com a necessidade de mais uma prorrogação de mandato, esta é a terceira, o TAE da UFJF Igor Coelho pondera que a realização da eleição não deva ultrapassar dezembro. Para ele é necessário, caso não seja seguro o processo presencial, buscar uma alternativa para que a eleição ocorra da forma que for possível.

Deste modo, o TAE Vinicius Pilate, que também apoiou a prorrogação, sugeriu a realização de um processo híbrido, que envolva tanto a votação remota quanto presencial, caso surjam novas ondas e novas variantes do coronavírus, tornando inviável a realização presencial no futuro. Diante disso, a TAE Marcileia Guimarães Paiva propôs que o sindicato busque uma avaliação da justiça eleitoral quanto ao desenvolvimento das eleições municipais de 2020, que ocorreram em meio à pandemia. Além disso, a técnico-administrativa indicou o estudo de um infectologista da UFJF que explica os riscos da reinfecção.

Ao final das falas, a categoria votou por unanimidade, com apenas uma abstenção, pela prorrogação do mandato da atual diretoria executiva até janeiro de 2022. A votação ocorreu através de formulário disponibilizado no chat da plataforma virtual onde acontecia a assembleia.

Com este resultado, a categoria entendeu que o debate sobre a organização da eleição deverá acontecer em outra oportunidade, conforme o cenário futuro da pandemia, que é imprevisível neste momento.

SINTUFEJUF

SINTUFEJUF